Administração do condomínio: os 3 principais desafios

Como entender os desafios da administração do condomínio e solucioná-los? Podemos comparar com uma empresa. Basta imaginar que há todo uma equipe, problemas e ações para serem gerenciados. São colaboradores internos como zelador e porteiro, e fornecedores externos, que poderão trabalhar em ocasiões especiais. Além disso há os compromissos como: fluxo de caixa, pagamentos e recebimento da taxa condominial. Quem são os gestores? Isso mesmo, os síndicos profissionais!

Quando se escolhe um síndico profissional, se espera que a especialização seja um ponto forte que auxilie numa boa administração do condomínio. Por esse motivo, síndicos profissionais devem estar atentos a todas as notícias e novidades relacionadas com suas atividades.

Quem pretende se tornar um síndico profissional e fazer a administração do condomínio também precisa pensar na melhor forma de participar da rotina dos moradores. É comum que muitos ainda tenham o pensamento de que “apenas quem mora no prédio saberá como resolver as questões”. Por isso, o gestor deve se atualizar em áreas como: liderança e gestão de pessoas. A empatia é fundamental.

Administração do condomínio: cada dia mais profissional

Em 2015, o blog especializado Radar Imobiliário, do Estadão, já anunciava “síndico profissional ganha espaço”. Na mesma reportagem, é citada a pesquisa do site SíndicoNet a qual apontava que, em 2005, somente 5% da administração do condomínio era realizada por terceirizados. Em 2013, alcançou a marca de 19% e subiu ainda mais em 2015, com 26%.

Outro dado interessante é que, na época, 39% tinham como principal ocupação a função de síndico profissional, 24% consideravam uma renda extra e 16% eram aposentados. Porém, em todos os casos, foi ressaltado o nível de dedicação tanto no desempenho das tarefas de administração do condomínio quanto da busca pela especialização cada vez maior em áreas correlacionadas, como cursos de profissionalização específicos.

O Radar Econômico apontou alguns dos desafios diários dos síndicos profissionais:

  • conciliação entre moradores;
  • manutenção de obras;
  • cumprimento das obrigações previstas pelo Código Civil;
  • busca por conhecimento;
  • aproximação com moradores;
  • tempo para realizar todas as funções.

Outra recomendação é que a administração do condomínio conte com uma empresa por trás, em que exista o síndico profissional, subsíndico, conselheiros e funcionários do prédio.

Administração do condomínio: principais desafios em comum

Grande parte dos síndicos profissionais precisam ultrapassar o “triângulo da segurança na administração do condomínio” para obter bons resultados. São três itens essenciais para fazer a gestão e garantir a segurança:

1. Investimento em funcionários:

Não basta contratar e avaliar o currículo atual. Um porteiro, por exemplo, precisa realizar cursos regulares. O treinamento nas novas tecnologias é um ponto indiscutível. Se um porteiro não souber identificar as ferramentas de segurança, quais as funcionalidades e avisos, pode até parecer que há um mau funcionamento ou equipamento de baixa qualidade. Mas falta apenas um pouco mais de conhecimento.

2. Conscientização dos condomínios:

Cada morador deve estar ciente da sua responsabilidade. A ação de um pode afetar muitos como, por exemplo, algo aparentemente insignificante, como permitir a entrada de um estranho que alega visitar outro morador. Mesmo com tecnologia, se não houver o bom uso por cada um, os perigos continuarão sendo iguais.

3. Equipamentos de vigilância:

Na Intelbras, recomendamos que os síndicos profissionais invistam nos produtos que fazem parte do controle de acesso da linha condominial. Com os equipamentos certos, consegue-se registrar a data e horário de entrada de cada morador, seja por meio de chaveiro (tag), senha ou controle remoto de veículo. Depois dos dados cadastrados, o síndico ou porteiro consegue imprimir relatórios do sistema. Há ainda outro equipamento que permite registrar diferentes informações, como fotos e todos moradores de um apartamento.

Os sistemas de “pânico” também funcionam quando o morador está sendo sofrendo violência, como assalto, por exemplo. Há um alerta para a portaria e para a empresa de monitoramento. O porteiro eletrônico não só controla o acesso, mas possibilita a conversação direta entre moradores sem precisar de intervenção da portaria.

A Intelbras está constantemente participando de eventos do Sindicato da Habitação (SECOVI) de diferentes regiões. Sempre acontecem palestras e treinamentos para síndicos profissionais e administração do condomínio. Procure o sindicato da sua região para mais informações.

Caso tenha alguma dúvida sobre o assunto, aproveite também os comentários do artigo e consulte nossos especialistas!

Fonte: Blog Intelbras

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *