Você está ciente dos seguros que seu condomínio paga?

Ficar de olho no que o seguro do seu condomínio cobre é se resguardar contra possíveis dores de cabeça.

 

Quando estamos sentados no sofá, descansando da rotina, muitas vezes não passa pela nossa cabeça a questão do seguro. Somente quando aparece uma notícia na TV sobre algum evento que nos impressiona, como um prédio que pegou fogo, desmoronou ou foi atingido por uma enchente, ou qualquer outro tipo de dano, que nos damos conta que estar preparado para imprevistos é essencial.

Entender como os seguros funcionam, que tipo de garantias as seguradoras podem te oferecer e quais foram contratadas pelo seu condomínio é super importante para ficar tranquilo e saber que, de fato, o seu patrimônio está resguardado.

Para explicar melhor quais são os seguros para condomínio mais relevantes, a Protest Administradora fez esse artigo para detalhar o assunto para você:

 

O seguro de condomínio é obrigatório?

É importante evidenciar que toda edificação é obrigada por lei a ter um seguro. O artigo 1.346 do Código Civil deixa claro:

Art. 1.346. É obrigatório o seguro de toda a edificação contra o risco de incêndio ou destruição, total ou parcial”

Ou seja, o seguro do condomínio não é apenas uma formalidade, ele é uma obrigação jurídica. Toda edificação precisa de um seguro que cubra sinistros contra incêndios e danos totais ou parciais.

As seguradoras costumam oferecer uma cobertura “básica simples” e outra “básica ampla”. É comum que a simples cubra principalmente, os sinistros interpretados da lei de obrigatoriedade, como: incêndio, queda de raio, explosão de qualquer natureza, queda ou impacto de aeronave. A ampla oferece algumas coberturas adicionais, que costumam ser: impacto de veículos no prédio, enchentes, dano por fumaças, desmoronamento, danos elétricos, quebra de vidros, vendavais, alagamentos, e danos causados por tumultos.

Por isso, é importante ler com atenção a apólice (o contrato da seguradora), para saber exatamente que tipo de sinistro ela cobre, quais as responsabilidades do condomínio para que o contrato seja válido, e ainda: qual é o prêmio que pode ser resgatado caso o sinistro ocorra. O seguro é um investimento estratégico perto do custo-benefício que se pode ter, quando ocorre algum imprevisto. Se você mora em um prédio tombado, em áreas de encostas, ou próximo ao mar, com incidência de alagamento, é importante contratar uma seguradora de qualidade, para se resguardar que os prejuízos sejam muito menores caso uma situação inesperada ocorra.

 

Quem é responsável por contratar o seguro?

Toda responsabilidade civil recai sobre o síndico, ele é responsável por contratar, avaliar e renovar o seguro. Ou seja, a pessoa que ocupa esse cargo precisa ler com bastante atenção o tipo de seguro que está contratando, calcular muito bem os valores do patrimônio segurado e fazer a manutenção do seguro para evitar que o condomínio fique sem cobertura por falta de pagamento.

Caso algum sinistro ocorra e o prédio não tenha nenhum tipo de seguro, a punição vai muito além de uma multa de condomínio, o síndico pode ser processado pelos condôminos em uma ação por perdas e danos, e responde inclusive criminalmente, caso ocorra um incêndio com mortes relacionadas.

Por lei, não é necessário convocar uma assembleia para a contratação do seguro, mas por questão de transparência e responsabilidade, é aconselhável que o síndico transmita aos condôminos qual foi a seguradora escolhida, os motivos da escolha, os valores do seguro e quais sinistros ele cobre.

Sempre que há uma mudança de síndico, é muito importante que a nova pessoa a assumir essa posição, avalie toda a burocracia do condomínio. No caso do contrato de seguro, isso é ainda mais importante porque a responsabilidade civil é transferida junto com o cargo. Portanto, caso você seja um novo síndico eleito, revise muito bem o contrato deixado pela gestão anterior. A segurança de todos agradece!

 

Meu condomínio tem seguro, posso ficar tranquilo?

Como a unidade (seu apartamento) e a área comum (o condomínio) são tratadas de forma distintas pelas seguradoras, só o seguro de condomínio não é o suficiente para resguardar o seu patrimônio.

De forma geral, os planos “básicos simples” cumprem as responsabilidades obrigatórias por lei. Ou seja, apenas sinistros ocorridos em áreas comuns e que afetem a estrutura da edificação estão contemplados, o patrimônio e os bens pessoais dos condôminos não tem qualquer tipo de cobertura. Vamos pegar o exemplo de um incêndio para ilustrar isso melhor.

 

Caso número um: incêndio na churrasqueira do prédio.

Imagine que alguém colocou muito álcool na churrasqueira do prédio, e sem querer começou um incêndio. O incêndio se alastrou pelo prédio, atingiu sua sala e acabou queimando o seu sofá antes de se extinguir.

Caso o seguro do prédio tenha uma cobertura simples, o prêmio resgatado vai ser usado apenas para reformar as áreas comuns do prédio e a estrutura (piso, teto, parede, etc) da sua sala, o sofá que é um bem individual não está contemplado e você não será ressarcido.

 

Caso número dois: incêndio na cozinha

Um incêndio começou na sua cozinha, queimou todo o cômodo, se alastrou pela sala queimando seu sofá e só foi parar quando atingiu o corredor do prédio.

Nesse caso, o seguro simples cobre apenas a estrutura do corredor atingido, porque o incêndio não começou na área comum do prédio. A unidade (seu apartamento) não faz parte do seguro, e você terá que arcar com a despesa de toda a estrutura da cozinha, da sala e do sofá (seu bem individual).

Para proteger o seu patrimônio individual, é necessário contratar um seguro residencial.

 

O que é um seguro residencial?

O seguro residencial é aquele que vai cobrir o patrimônio e os bens individuais. Ele vai tratar dos sinistros iniciados e ocorridos dentro das unidades que contratarem esse tipo de serviço, ou seja, vai cobrir o interior do apartamento.

De forma geral, o seguro residencial e o condominial são complementares. Nas duas situações citadas anteriormente, todos os bens e estruturas estariam contemplados caso o morador e o prédio estivessem segurados.

O seguro residencial também costuma contar com alguns serviços extras, como o reparo hidráulicos, serviço de chaveiro, entre outros. Por causa do grande valor estratégico, contratar um seguro é muito importante. Afinal, ninguém quer passar por uma situação inesperada e ainda sofrer prejuízo financeiro, não é mesmo?

 

A importância de estar preparado

A cada ano ocorrem sinistros em condomínios nobres, casas humildes, prédios públicos e todo tipo de edificação, não existe regra, e nem maneira para evitar completamente essas situações. A melhor solução é resguardar ao máximo possível o seu patrimônio, ter um seguro é uma forma de diminuir os danos causados por acidentes.

A Protest trabalha junto com 3 seguradoras diferentes para oferecer o que há de melhor quando o assunto é trazer segurança aos nossos clientes. Somos membros da ABADI (Associação Brasileira das Administradoras de Imóveis) e certificação da PROCONDO, duas instituições que, assim como a Protest, são referência em transparência e qualidade.

Somos especialistas em condomínios, e além do seguro condomínio e residência, trabalhamos com seguro fiança, auto, vida, saúde e empresarial, para você ficar amparado em todas as situações. Conheça os nossos seguros:

 

CONHEÇA OS NOSSO SEGUROS

Quer ver mais conteúdo de qualidade sobre cotas condominiais e administração de condomínios? Nos siga no Facebook e Linkedin para trocarmos uma ideia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *