Tudo sobre limpeza de caixa d’água

A realização de limpezas frequentes na caixa d’água de edifícios e casas é fundamental para a manutenção da qualidade de vida dos moradores. Afinal, a falta de higienização do reservatório pode acarretar a presença de germes, bactérias e outros espécimes prejudiciais aos seres humanos.

A situação é tão séria que, se por acaso um dos condôminos apresentar mal-estar por conta da má qualidade da água, o síndico pode ser acionado judicialmente, já que é o responsável pela limpeza da caixa.

No entanto, muitos gestores de primeira viagem têm dúvidas em relação à maneira correta de se efetuar esse procedimento. Se for o seu caso, confira as sugestões da Protest:

Primeiramente, recomendamos a contratação de uma empresa especializada no serviço. Dependendo da região, o ato de colocar um funcionário para realizar a higienização da caixa é punível com multa. Cheque na área do seu edifício, porém lembre-se que optar por uma companhia especializada pode te garantir um melhor resultado.

Outra dica é procurar por empresas de dedetização. Elas costumam oferecer pacotes com a realização da limpeza de caixa d’água, e podem te ajudar a resolver dois problemas de uma só vez. Mas independente da sua escolha de contratação, verifique se a companhia possui alvará da Vigilância Sanitária e peça ao zelador para supervisionar todo o serviço ao lado da equipe.

No que se refere com que frequência a limpeza do reservatório deve ser realizada, a resposta é: semestralmente. Os meses de fevereiro e outubro são os sugeridos, pois se adequam melhor às demandas de água no inverno e verão, respectivamente. É claro que essas datas podem mudar de um condomínio para o outro, o importante é não deixar de realizar o procedimento pelo menos duas vezes por ano.

Após a limpeza, a última etapa do processo é a realização do teste de potabilidade da água. Para não haver conflito de interesses, o ideal é que a realização do teste seja feita por um laboratório independente à empresa que prestou o serviço de higienização. Só assim há a comprovação de que a água está própria para o consumo dos moradores!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *