Danos morais a funcionários: como proceder?

Dentro e fora de condomínios, danos morais podem acontecer em toda espécie de relacionamento. Hoje, a Protest dá mais detalhes sobre situações do tipo em que a vítima é um funcionário do condomínio.

O dano moral pode ser classificado como qualquer tratamento considerado degradante, e poderá ser colocado na Justiça sob pena de reparação. Alguns casos que podem configurar danos morais são:

– Retratar o funcionário com algum adjetivo que prejudique sua ética, moral ou honra (como incompetente, desleixado, ladrão etc);
– Agredir o outro, de forma verbal e/ou física;
– Difamar o colaborador através de redes sociais.

Esses são exemplos recorrentes que, infelizmente, continuam acontecendo em condomínios por todo o Brasil. Mas não são os únicos fatores que acarretam em danos morais, cabe à Justiça avaliar e classificar cada caso.

Se registrada a denúncia com provas e/ou testemunhas para comprovação do delito, o condomínio poderá sofrer um processo por danos morais de funcionários.

Para prevenir essas situações, é importante que o síndico leve a questão para a assembleia com o objetivo de compartilhar a conscientização de que o erro de um morador poderá afetar a todos no condomínio, gerando responsabilização monetária do mesmo.

Além disso, síndico, condôminos e funcionários devem trabalhar juntos em prol de um ambiente de convivência agradável, sempre prezando o respeito em primeiro lugar.

É essencial que haja informativos de boa convivência para ajudar a gerar mais empatia e colaboração por parte dos condôminos e de toda a comunidade condominial.

Apesar disso, caso ocorra uma agressão, cabe ao síndico reunir o máximo de evidências possíveis para utilizar em caso de acordo entre as partes. Se o funcionário for terceirizado, a empresa prestadora de serviços deverá ser comunicada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *