Os Limites do Home Office em Condomínios

A pandemia da COVID-19 virou de cabeça pra baixo a rotina da maioria dos brasileiros. Trabalhar e estudar em casa tornou-se algo cotidiano, até quem não tinha um espaço para escritório acabou improvisando um espaço para o famoso Home Office, além disso, algumas escolas e universidades continuam tendo aula normalmente pela internet com o objetivo de evitar mais danos ao ano letivo.

É claro que cada apartamento tem sua rotina particular, portanto enquanto um residente está trabalhando, o vizinho pode estar organizando uma brincadeira com a criançada dentro de casa, já que a descida ao play por enquanto está suspensa. É preciso que haja um equilíbrio, não se pode proibir que os moradores mantenham seu dia a dia, mas é de bom tom conscientizar a todos sobre as adaptações necessárias num tempo tão imprevisível.

O síndico deve estar preparado para as consequências do aumento do Home Office dentro dos condomínios. Muitas reclamações podem surgir por parte dos moradores que precisam de silêncio durante o dia para conseguir trabalhar, é importante solicitar aos residentes que tenham paciência e empatia com seus vizinhos.

Em tempos de isolamento tudo pode ser um novo motivo para gerar estresse entre os moradores. Caso haja alguma reclamação mais séria o síndico deve procurar mediar os conflitos entre os condôminos junto ao conselho, cada caso deve ser analisado individualmente, é preciso separar os barulhos comuns dos casos extraordinários. Se o problema não for resolvido pela comunicação, é essencial auxiliar o morador que se sente prejudicado a formalizar a reclamação, que deve ser feita pelos meios oficiais de comunicação do condomínio, tais como: WhatsApp, E-mail, App ou site, é recomendado que se evite o livro físico de ocorrências nesse momento, afim de evitar possível contaminação.

Mas e quando o problema é quem está de Home Office? Um ponto importante é a finalidade da unidade residencial, que não pode ser usada exclusivamente para fins comerciais. Deve predominar o perfil residencial da unidade, devido a proibição de utilização da área privativa de maneira estritamente comercial.

É importante também que o síndico se atente a segurança dos outros moradores, já que às vezes, dependendo da área de atuação, o profissional pode vir a receber clientes, o que pode gerar um risco para a saúde dos outros condôminos. Caso o profissional que trabalha em casa comece a incomodar os vizinhos, seja pelo recebimento de visitas, barulhos e/ou encomendas, o síndico deve dialogar com o residente em questão e explicar a situação, que muitas vezes é mencionada na própria convenção do condomínio (sobre a finalidade do uso das unidades, geralmente apenas residencial). Nesse caso, o síndico deve estar ciente que a lei está ao seu lado, e caso o condômino permaneça incomodando outros moradores, ele pode advertir e multar o mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *